Apologética Católica

O Santo Rosário

Poderosa arma de eficácia comprovada

Por Jaime Francisco de Moura

 

O Rosário é uma arma que Deus coloca nas mãos de seus fiéis soldados, na luta contra satanás e seus sequazes que andam pelo mundo para perder as almas. Esta poderosíssima arma está à disposição de todos os Católicos. Com ela receberemos proteção nos assaltos do demônio e estaremos prontos a enfrentar todas as dificuldades desta vida.

O próprio demônio foi obrigado a confessar – muito a contragosto... que a Santíssima Virgem era sua maior inimiga, pois ela, através de Jesus, conseguia salvar almas que estavam já em suas garras, praticamente condenadas ao inferno.

Nossa Senhora é o terror dos demônios, aquela que esmaga a cabeça da serpente infernal, como é representada em muitas de suas imagens.

Os Papas, os Santos e a Igreja incentivam de todos os modos esta devoção, que a própria Medianeira de todas as graças nos ensinou.

Rezar o Santo Rosário é ser atendido com segurança, pois o Divino Filho de Maria Santíssima ouve os rogos de sua Mãe. Mãe nossa, que é também a Mãe do juiz que nos julgará em nosso último dia. Assim sendo, nada melhor que termos como Advogada Aquela que nos obterá toda espécie de graças para chegarmos bem diante do supremo Juiz.

Está portanto em nossas mãos a arma para a salvação, tanto nossa como deste caótico e desmoralizado mundo de hoje.

Benefícios e graças que podemos conseguir rezando o Rosário

-         Eleva-nos insensivelmente ao perfeito conhecimento de Jesus Cristo

-         Purifica nossas almas do pecado

-         Permite-nos vencer a nossos inimigos

-         Facilita-nos a prática das virtudes

-         Abrasa-nos no amor de Jesus Cristo

-         Habilita-nos a pagar nossas dívidas para com Deus e os homens

-         Por fim, obtém de Deus toda espécie de graças.

Triunfo do Rosário contra o Islâmismo.

Em 1716, os Turcos, numa tentativa de subjugar a Cristandade e conquistar a Europa para a religião do Islã, foram derrotados em Peterwardein, na Hungria, pelo príncipe Eugênio de Sabóia (1663-1736).

Esse fervoroso príncipe, no comando dos exércitos Cristãos, portava sempre seu precioso Terço, e o recitava  sobretudo nas horas de perigo. Seus soldados comentavam que, se não fosse pelas orações, a vitória seria do Islamismo. Costumavam dizer, quando o viam de Rosário em punho, em orações: “o príncipe está rezando muito, isto é sinal de que logo teremos batalha!”.

Tropas Soviéticas retiram-se da Áustria

Após a II Guerra Mundial, parte do território austríaco ficou sob domínio comunista. Tudo foi feito para que os russos se retirassem, todos os meios diplomáticos foram empregados. Contudo parecia impossível obter a retirada dos tiranos Soviéticos que oprimiam o Católico país.

Através da recitação do Rosário, a nação austríaca inteira implorou a libertação a Nossa Senhora de Fátima, pois só um milagre a salvaria. Foi constituído um movimento chamado Rosenkranzsuhnekreuzzug (Cruzada Reparadora do Santo Rosário) por iniciativa do padre capuchinho Petrus Pavlicek.

Em todas as cidades, vilas e aldeias crescia o número de pessoas que aderiam ao movimento, comprometendo-se a rezar o Rosário numa determinada hora. De tal modo que, 24 horas por dia, sempre havia austríacos rezando, rogando à Virgem Santíssima pela libertação do país do jugo comunista.

Muitas procissões foram organizadas nessa intenção. A maior delas talvez tenha sido a realizada em 12 de setembro de 1954: uma  enorme procissão “aux flambeaux” (com tochas) em homenagem a Nossa Senhora de Fátima, da qual participaram muitas autoridades.

500 mil austríacos já haviam aderido a essa cruzada de orações em 1955. A Senhora do Rosário atendeu as súplicas, e o impossível – naturalmente falando – ocorreu: em maio de 1955 as tropas soviéticas abandonaram o território austríaco. Um autêntico milagre!

Milagre reconhecido pelo primeiro ministro austríaco, num discurso, com estas palavras finais: “Hoje queremos nós, que temos o coração cheio de fé, enviar ao Céu uma oração alegre, e essa oração nós a encerramos com  estas palavras: Nós estamos livres. Maria, nós te agradecemos”.

Os Papas recomendam o Rosário

Pio IX -  Leão XIII  -  São Pio X -  Bento XV  -  Pio XI -  Pio XII  -  João XXIII  - Paulo VI  -  João Paulo II.

“Uma arma poderosíssima para pôr em fuga os demônios... Ademais, o Rosário de Maria é de grande valor não só para derrotar os que odeiam a Deus, e os inimigos da religião, como também estimula, alimenta e atrai para nossas almas as virtudes evangélicas”  Pio XI (Encíclica Ingravescentibus malis, de 29 de setembro de 1937)

Crie um site gratuito com o Yola.