Apologética Católica

Destruindo a Sola Scriptura

Autor: Mario Derksen

Fonte: Site Catholic Insight!

Tradução: Carlos Martins Nabeto



 

Ao lado da doutrina da Sola Fides (justificação apenas pela fé), existe uma outra doutrina sobre a qual o Protestantismo está edificado, erguendo-o o derrubando-o: trata-se da Sola Scriptura. Esta frase latina pode ser traduzida como "somente as Escrituras", significando "somente a Bíblia basta". O que os protestantes querem demonstrar pela Sola Scriptura é que a Bíblia, e apenas ela, é a única autoridade infalível para a fé de uma pessoa. Qualquer coisa só pode ser aceita se estiver prevista na Bíblia; o que não estiver lá, não pode ser aceito como verdadeiro e, também, não pode ser tido como obrigatório. Qualquer coisa que não é encontrada na Bíblia é rotulada como "tradição" e é totalmente rejeitada, como se lê  aparentemente - em Mateus 15.


É lógico que, dependendo da denominação protestante avaliada, a definição de Sola Scriptura pode variar. Mas, basicamente, é nisto que todas as maiores denominações protestantes acreditam. Porém, existem vários pontos em que a crença na doutrina de que "somente a Bíblia basta" acaba falhando. Se a Sola Scriptura é uma doutrina verdadeira, então:

1 - O cânon da Bíblia (lista dos livros inspirados) deveria estar na Bíblia.

2 - Cada livro da Bíblia deveria se auto-autenticar.

3 - Os judeus deveriam acreditar na Sola Scriptura.

4 - A própria Bíblia deveria ensinar a Sola Scriptura.

5 - Os primeiros cristãos deveriam ter professado a Sola Scriptura.

6 - Os analfabetos não poderiam obter a salvação.

7 - As Escrituras deveriam se auto-explicar.

8 - Jesus deveria ter ensinado essa doutrina.

9 - A Bíblia deveria ser auto-suficiente.

Contudo, nenhum dos quesitos acima é verdadeiro. Vamos explicar alguns desses quesitos de forma bem breve:

Se o cânon da Bíblia estivesse incluso nas Escrituras, então nós teríamos que encontrar uma tabela inspirada do conteúdo da Bíblia. Porém, esse não é o caso. E mesmo que existisse, nós teríamos que ter a certeza de que o conteúdo dessa tabela era realmente inspirado e que os escritos realmente eram aqueles que diriam ser. Além disso, já que a Sola Scriptura declara que a Bíblia é a única autoridade infalível, nós não poderíamos aceitar qualquer outra autoridade além da própria Escritura para nos dizer quais livros pertenceriam à Bíblia. Por conseguinte, tal doutrina é auto-refutável.

É justamente por causa desse problema que alguns protestantes afirmam que os livros da Bíblia são auto-autenticáveis, isto é, pela simples leitura nos convence que pertencem à Bíblia. Ora, isto não funciona porque não podemos basear o cânon da Bíblia num simples "sentimento pessoal", já que nem todas as pessoas que crêem em Jesus possuem o mesmo cânon bíblico: o cânon protestante é diferente do cânon católico e ortodoxo; os mórmons e algumas outras denominações protestantes acrescentam seus próprios livros à Bíblia, da mesma forma que fizeram os primeiríssimos cristãos e também os judeus, que não concordavam sobre quais livros eram inspirados. Para um estudo mais aprofundado sobre este assunto, auxiliam os livros de Mark P. Shea ("Sob qual autoridade?" - "By Whatt Authority?") e Henry Graham ("De Onde nos Veio a Bíblia" - "Where we Got the Bible").

Os judeus não acreditavam na religião que estava fundada ou determinada por uma mera coleção de livros inspirados. Os sacerdotes e sumo-sacerdotes eram os professores da Lei, e os judeus acreditavam em várias coisas que não estavam incluídas no Antigo Testamento. De fato, se os judeus apenas seguissem o Antigo Testamento, eles não poderiam ter uma religião tão rica em tradição como ainda possuem.

Crie um site gratuito com o Yola.