Apologética Católica

Apenas 05 (cinco) argumentos a favor da Intercessão dos Santos  

 Por Paulo Gonçalves Pereira


 Fonte de Consulta e de Inspiração: Livro "As diferenças entre IGREJA CATÓLICA e Igrejas Evangélicas", Autor: Jaime Francisco de Moura, Editora COMDEUS, Av. São José 921 - Centro - São José dos Campos - SP - CEP 12209-720

1. Primeiro Argumento para a INTERCESSÃO dos Santos:

A INTERMEDIAÇÃO única de Jesus na REDENÇÃO do gênero humano não exclui a INTERMEDIAÇÃO entre nós, os vivos, e aqueles mortos, os Santos, que já estão na glória de Deus.

1.1 - Argumento da Lógica humana

Há um princípio da Lógica que diz: "A afirmação de uma coisa não implica a negação de outra".  A Bíblia diz que Jesus é o Único Intermediário de Redenção, mas não diz que é o único de INTERCESSÃO.

Ora, se uma afirmação não exclui outra, ou seja, se é dito que Jesus é o único Intermediário de Redenção,

Conclui-se que não se pode excluir outros tipos de INTERMEDIAÇÃO, tal como a INTERCESSÃO que há entre os vivos e os mortos perante o Senhor Deus.

1.2 - Argumento da Lógica divina

O Divino Espírito Santo inspirou São Paulo em 1 Tim 2, 5 a dizer: "... o Qual se entregou em Redenção por nós".

Ora, em nenhum lugar da Bíblia está dito, nem implicitamente, que a INTERMEDIAÇÃO para fins de Redenção exclui a INTERMEDIAÇÃO para outros fins tais como: um pedido aos santos ou a Maria para que INTERCEDAM junto ao Filho ou ao Senhor Deus em favor de um vivo.

Portanto, se Jesus é o Único APENAS para Redenção, conclui-se que outros (inclusive Ele), vivos ou mortos, podem INTERCEDER por nós junto ao Senhor Deus.

2. Segundo Argumento para a INTERCESSÃO dos Santos

2.1 - Argumento da Lógica humana

Tudo o que a mente humana é incapaz de abarcar mas que a Palavra de Deus nos REVELA através da Bíblia é verdade e é matéria de fé.

Ora, o próprio Deus afirma que os santos que já estão vivendo na sua glória INTERCEDEM por nós que ainda estamos aqui na terra, na esperança da ressurreição.

Portanto, os santos INTERCEDEM a Deus por nós ou nós podemos INTERCEDER aos santos em nosso favor.

2.2 - Argumento da Lógica divina"E o Seenhor Deus me disse: 'ainda que Moisés e Samuel se apresentem diante de mim, o meu coração não se voltaria para esse povo" (Jeremias 15, 1)

Ora, se Deus reconhece que os mortos ou santos (no caso, Moisés e Samuel) podem INTERCEDER diante dele, embora assim não o tenham feito,

Conclui-se, portanto, que, dentre os mortos, apenas os que estão na glória de Deus, não os que se condenaram ao inferno, podem INTERCEDER por nós e, de fato, INTERCEDEM.

3. Terceiro Argumento para a INTERCESSÃO dos Santos

3.1 - Argumento da Lógica humana

O Senhor Deus, através de especial INTERCESSÃO dos Santos que já estão na sua glória (não dos mortos que se condenaram) concede favores a nós que ainda estamos aqui na terra.

Ora, o Senhor Deus, numa deferência toda especial a Davi, que já era morto, mas que era, também, um Santo ainda aguardando a Redenção do gênero humano, promete favores a seu filho Salomão.

Portanto, o Senhor Deus nos REVELA que existe a INTERCESSÃO dos Santos.

3.2 - Argumento da Lógica divina

"O Senhor Deus disse-lhe então: ... vou tirar-te o reino e dá-lo a teu servo. Todavia, em atenção ao teu pai, Davi, não o farei durante a tua vida..." (1 Reis 11, 11-12).

Ora, o Senhor Deus vai prestar um favor a um vivo (Salomão. O favor da não retirada do reino), em atenção a um morto, Davi, que estava aguardando a entrada no "Seio de Abraão" (Lucas 16, 22)

Portanto, o Senhor Deus leva em consideração os pedidos e a INTERCESSÃO dos mortos (é claro, daqueles mortos que já estão junto a ele, ou seja, dos Santos)

4. Quarto Argumento para a INTERCESSÃO dos Santos

4.1 - Argumento da Lógica humana

Outro princípio da Lógica Formal, afirma que todo aquele que vai julgar algo ou uma pessoa deve conhecer a matéria ou a pessoa a serem julgadas.

Ora, os Santos, conforme dito na Bíblia, julgarão o mundo.

Portanto, os Santos (que são nossos mortos que já desfrutam da glória de Deus), para julgarem, devem conhecer o mundo dos vivos.

4.2 - Argumento da Lógica divina

O Senhor Deus inspirou São Paulo em 1 Cor 6, 2: "Não sabeis que os Santos julgarão o mundo?".

Ora, o mundo a que São Paulo se referia é o nosso mundo dos vivos.

Portanto, os Santos, para nos julgarem, devem conhecer nossas necessidades, isto é, devem ter contato com nossa realidade.

5. Quinto Argumento para a INTERCESSÃO dos Santos

5.1 - Argumento da Lógica humana

Os Santos são amigos de Jesus e Jesus tem muito gosto por seus amigos. Nós, os vivos, sabendo que o Senhor Deus gosta dos amigos de seu Filho (no caso, seus Santos), podemos usar o artifício de pedir a esses Santos que INTERCEDAM por nós junto ao seu amigão que é Jesus, mesmo porque, em nenhum lugar da Bíblia, está dito que os Santos não podem INTERCEDER.

Ora, se Jesus atende a seus amigos e se não há nenhuma proibição do próprio Deus para isto,

Conclui-se que o Senhor Deus gosta de que, não só peçamos a INTERCESSÃO de seus amigos, os Santos, como também Ele atende ao pedido de seus amigos.

5.2 - Argumento da Lógica divina

Nosso Senhor Jesus Cristo disse em Marcos 9, 40: "Pois quem não é contra nós, é a nosso favor".

Ora, não é contra Jesus nós, os vivos, dirigirmo-nos a seus amigos, os Santos, para lhes pedirmos uma INTERCESSÃO junto a Ele ou ao Pai.

Portanto, Jesus, o único INTERMEDIÁRIO (de Redenção) entre nós e o Pai, gosta que seus amigos vivos e os Santos INTERCEDAM uns pelos outros.

Crie um site gratuito com o Yola.