Apologética Católica


Fenômenos Paranormais

 

          A parapsicologia demonstrou que a psique apresenta um aspecto de caráter relativo, seja do ponto de vista do

espaço como do tempo. Além disso, demonstrou também que a psique inconsciente tem a capacidade, sem que exista

contato físico, de agir sobre a matéria e até de considerá-la a tal ponto de torná-la visível...

 

          Esta independência de espaço e de tempo amplamente demonstrado pelos fenômenos paranormais (telepatia e

clarividência funcionam como se o espaço não existisse, a pré-cognição como se o tempo não existisse) propiciou a J

ung motivos de reflexão sobre a possibilidade de existência depois da morte.


          Jung expressava considerações e reflexões que se referiam às constatações expostas ao professor Rhine e sobre

as quais, evidentemente tinha refletido longamente: “Se a alma é capaz de percepções telepáticas, clarividentes e pré-

cognitiva (fato que as experiências de parapsicologia demonstram amplamente), pelo menos em parte ela está vivendo

em um “continuum” fora do espaço e do tempo, o que leva a concluir pela possibilidade de autênticos fenômenos pré-

mortais. A relativa raridade destes fenômenos indica em todo casdo que as formas de existência da temporalidade

interior e exterior estão tão claramente divididas que a extrapolação deste limite é uma das coisas mais difíceis que

existem. O que, no entanto, não impede de maneira nenhuma que a existência temporal interior seja paralela à

exterior. Em outras palavras, nós existimos paralelamente em ambos os mundos, o que, de tempo em tempo, nos é

revelado pela intuição...”


          De fato, Jung considerava contribuição científica ao problema da morte e da vida depois da morte o fato de que a alma,

ou ao menos parte dela, pertence a uma esfera de relativa, ou até anulada, espacialidade e temporalidade: os fenômenos

paranormais lhe tinham fornecido a prova. Em carta que escreveu em 1950 à viúva de seu amigo Albert Oeri, afirmou:

“ A velhice seria insuportável se não soubéssemos que a nossa alma pertence a uma esfera que não está ligada à

mudança temporal, nem à limitação espacial. Naquela forma de existência o nosso nascimento é morte e a nossa

morte, nascimento.”


          Estas são as conclusões a que chegara C. G.Jung depois de uma vida dedicada ao estudo da psique humana e a

tudo o que se produz e se manifesta através dela.


          Os fenômenos paranormais têm valor que vai muito além do simples acontecimento em si mesmo, por mais útil

e importante que possa ser; eles constituem flechas indicativas de uma realidade transcendente. Os fenômenos

paranormais, com a sua carga de mistério, com seus aspectos inexplicáveis e sem possibilidades de serem enquadrados

em temos científicos, indicam outras dimensões, direcionam para a transcendência; antes, são, por assim dizer, uma

janela aberta sobre a transcendência. Eles podem representar importante suporte para a fé; não o substituto da fé, mas

algo a ajudar a crer.



Fonte: Conhecer a Parapsicologia “Os Fenômenos do Paranormal”

Paola Giovetti, Editora Paulus


Jaime Francisco é criador deste site. É Apologista Católico, Historiador, Estudioso da Igreja Primitiva e das doutrinas protestantes no Brasil e na América Latina. Publicou 04 obras em defesa da Fé Católica: "As diferenças entre Igreja Católica e Igrejas Protestantes" " 150 Respostas aos 150 ataques protestantes" " Porque estes Protestantes tornaram - se Católicos" e " Lavagem Cerebral e Hipnose no meio Protestante" Maiores informações sobre os livros: www.respostascatolicas.webnode.com.br  Nestes últimos anos tem estudado profundamente sobre Psicologia Parapsicologia e fenômenos  relacionados à demonologia.

Crie um site gratuito com o Yola.