Apologética Católica


O Rosário pode contribuir para a união, diz teólogo protestante


A recente carta apostólica de João Paulo II "Rosarium Virginis Mariae" declara: "Percorrer com Ela [Maria] as cenas do Rosário é como frequentar a “escola” de Maria para ler Cristo, penetrar nos seus segredos, compreender a sua mensagem". O rosário pode até promover o ecumenismo, afirma o Papa.


Esta é uma posição compartilhada pelo professor Stephan Tobler da Universidade de Tübingen, na Alemanha, teólogo evangélico da Reforma, relatou a Rádio Vaticano.


"Devo dizer que eu a li de uma só vez", disse Tobler sobre a carta apostólica. "É uma carta de uma profundidade espiritual e teológica que eu não estava esperando -- uma carta que respira uma dimensão evangélica, que me surpreendeu muito".


"A carta diz que é necessário relançar o rosário como uma oração Cristológica", ele acrescentou. "De fato, ela faz isso, da primeira à última linha".


Quando o documento alude "à graça que Maria nos dá quando rezamos a Ela", ela fala da graça que Deus nos dá quase das mãos de Maria, "mas com um 'quase' como se dizendo que ela 'é e não é", disse o teólogo.


"Portanto, é introduzida desta forma na dinâmica do Deus Trindade, que vejo como próximo da sensibilidade dos Reformadores que apreciam a figura de Maria, mas somente se isso não diminui o olhar para Jesus, o Espírito Santo, o Pai", disse ele.


Nesse contexto, as comunidades da Reforma podem ser encorajadas pelas palavras do Papa, disse o teólogo.


"Penso que as igrejas evangélicas podem redescobrir Maria como a imagem da pessoa completamente aberta a Deus com seu 'fiat', com seu 'fazei tudo o que ele vos disser', com seu ficar ao pé da cruz, com sua presença silenciosa entre os discípulos", disse o professor Tobler.


"Nesta carta, o Papa enfatiza que o rosário, mais que uma oração de palavras, é uma contemplação do mistério", continuou. "Certamente a sensibilidade e busca de hojr é primeiro redescobrir um lugar onde o coração repousa, onde a alma contempla os mistérios de Deus e também as maneiras pelas quais isso é possível. Nós, em nossas tradições, devemos redescobrir os modos que são equivalentes, a analogia".


Tobler acrescentou uma nota de otimismo sobre ecumenismo: "Estou convencido de que se os Católicos rezarem o rosário como proposto nessa carta apostólica, e se os evangélicos reconhecerem e redescobrirem sem preconceitos esta nova forma de conceber o rosário, então será uma ocasião favorável. Mas devemos trabalhar nisso".


                                                     Fonte: Zenit.org

Jaime Francisco é criador deste site. É Apologista Católico, Historiador, Estudioso da Igreja Primitiva e das doutrinas protestantes no Brasil e na América Latina. Publicou 03 obras em defesa da Fé Católica: "As diferenças entre Igreja Católica e Igrejas Protestantes" " Porque estes Protestantes tornaram - se Católicos" e " Lavagem Cerebral e Hipnose no meio Protestante" Maiores informações sobre os livros: www.respostascatolicas.webnode.com.br   Nestes últimos anos tem estudado profundamente sobre Psicologia e fenômenos  relacionados à demônologia.

Crie um site gratuito com o Yola.