Apologética Católica

Respostas aos protestantes sobre a Fé e as Obras

Por Jaime Francisco de Moura


Posições:

Protestantes: só a fé em Cristo salva; basta aceitá-lo como Senhor e salvador de sua vida

Católicos: para se salvar é preciso a fé e as obras, que são o amor para com Deus e para com o Próximo.

Confira na Bíblia:

“Mesmo que eu tivesse o dom da profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência; mesmo que tivesse toda a fé, a ponto de transportar montanhas, se não tiver caridade, não sou nada” (1 Coríntios 13,2-3)

“Mas pela tua obstinação e coração impenitente, vais acumulando ira contra ti, para o dia da cólera e da revelação do justo juízo de Deus, que retribuirá a cada um segundo as suas obras” (Romanos 2,5-6)

“Assim também a fé: se não tiver obras, é morta em si mesma” (Tiago 2,17)

“Voltar-se-á em seguida para os da sua esquerda e lhes dirá: Retirai-vos de mim, malditos! Ide para o fogo eterno destinado ao demônio e aos seus anjos, Porque tive fome e não me destes de comer; tive sede e não me destes de beber; era peregrino e não me acolhestes; nu e não me vestistes; enfermo e na prisão, e não me visitastes. Também estes lhe perguntarão: Senhor, quando foi que te vimos com fome, com sede, peregrino, ou nu, ou enfermo, ou na prisão, e não te socorremos? E ele responderá: Em verdade eu vos declaro: Todas as vezes que deixastes de fazer isto a um destes pequeninos, foi a mim que o deixastes de fazer” (Mateus 25,41-45)

“Havia em Cesaréia um homem por nome Cornélio, centurião da corte que se chamava Itálica. Era religioso: Ele e todos os de sua casa eram tementes a Deus. Dava muitas esmolas ao povo e orava constatemente. Este homem viu claramente numa visão, pela hora nona do dia aproximar-se dele um Anjo de Deus e o chamar: “ Cornélio! Cornélio fixou nele os olhos e, possuído de temor, perguntou: Que há Senhor? O Anjo replicou: As tuas orações e as tuas esmolas subiram à presença de Deus como uma oferta de lembrança” (Atos 10,1-4)

“Vi, então, um grande trono branco, e aquele que nele se assentava. Os céus e a terra fugiram de sua face, e já não se achou lugar para eles. Vi os mortos, grandes e pequenos, de pé, diante do trono. Abriram-se livros, e ainda outro livro, que é o livro da vida. E os mortos foram julgados conforme o que estava escrito nesse livro, segundo as suas obras. O mar restituiu os mortos que nele estavam. Do mesmo modo a morte e a morada subterrânea. Cada um foi julgado segundo as suas obras. A morte e a morada subterrânea foram lançados no tanque de fogo. A segunda morte é esta: O tanque de fogo. Todo o que não foi encontrado inscrito no livro da vida foi lançado ao fogo” (Apocalipse 20,11-15)

“Foi-lhe dado revestir-se de linho puríssimo e resplandecente”. (Pois o linho são as boas obras dos Santos) (Apocalipse 19,8).

Os protestantes se baseiam em (Romanos 3,28)

Esclarecimento: Paulo escreve aos romanos, que eram pagãos, acostumados a adorar ídolos ou falsos deuses. Por isso acentua a importância e a necessidade de uma fé total em Cristo, mas não exclui as obras como necessárias para a salvação.

Quando se fala de fé, como também da graça de Deus, não podemos esquecer-nos das obras, senão estaremos separando o corpo da alma, propondo uma vivência Cristã contraditória.No julgamento final Jesus não vai dizer: “Você tinha fé, por isso vai para o céu”.Ele vai dizer: “Tive fome e me deste de comer”.

A verdadeira fé é necessária para a salvação: (Marcos 16,16) (João 3,18; 11,16)  (Romanos 10,11) (Hebreus 11,6-7).

A fé sem obras é morta (Tiago 2,14 -17) (Salmo 17,21) (Mateus 5,11-12; 10,42; 16,27) (Romanos 2,6) ( Efésios 6,8) (I Timóteo 6,17-19).

Só a fé não supõe a certeza absoluta de salvação e estar em estado de graça: “Considera, pois, a bondade e a severidade de Deus: Severidade para com aqueles que caíram, bondade para contigo, suposto que permaneças fiel a esta bondade; do contrário, também tu serás cortado” (Romanos 11,22)

“Ao contrário, castigo o meu corpo e o mantenho em servidão, de medo de vir eu mesmo a ser excluído depois de eu pregado aos outros” (I Coríntios 9,27).

Os protestantes possuem uma confiança condenada por (Apocalipse 3,2) Confira: “Sê vigilante, e consolida o resto que ia morrer, pois não achei tuas obras perfeitas diante de meu Deus”

“Porque diante de Deus não são justos os que ouvem a lei, mas serão tidos por justos os que praticam a lei”. (Romanos 2,13)

Confira ainda na Bíblia: (I Coríntios 10,12) (I Coríntios 9,24-27) (Filipenses 2,12-16)

Lembre-se: O demônio também crê e treme.

Fé sem obras e obras sem fé não valem nada. (Mateus 7,21).

Para entender melhor, é só encaixar o mais breve texto de Marcos (16,15-16) no mais longo de Mateus (28,18-20) assim: “Ide, pois, e fazei de todos os povos discípulos meus, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo, e ensinando-os a observar tudo o que vos mandei” (Mateus 28,18-19)

Observar o texto de (Mateus 16,27; 19,17)

É muito fácil ver que a interpretação protestante é falsa já no texto de (Romanos 3,28) (Gálatas 3,16), quando Paulo assim diz: “Julgamos que o homem é justificado pela fé sem as obras da Lei”. Com efeito:

a) Pela expressão “obras da Lei”, São Paulo fala de certas observâncias judaicas, como a circuncisão, abluções, festas, etc., e não das obras resultantes da observância da Lei (o decálogo);

b) Ele não fala de salvação, mas sim, de justificação. É uma distinção muito importante. Com efeito, a salvação é o que começa com a justificação. Na justificação só Deus atua, dando o dom da fé e o da graça, chamada primeira ou santificante. No processo de santificação, porém, entram a ação de Deus que atua sempre na alma, e a do homem que corresponde livremente à ação Divina. Para a santificação não há limites: “sedes perfeitos como vosso Pai Celeste” (Colossenses 1,15)  (2Coríntios 4,4). Além disso, Paulo afirma que a fé é operante pelo princípio vital da caridade, ou seja, é aplicada às boas obras, pois diz: “a fé opera pela caridade” (Gálatas 5,6). “Diante de Deus não são justos os que ouvem a Lei, mas serão tidos por justos os que praticam a Lei” (Romanos 2,13).

Portanto, segundo a Bíblia, as obras são necessárias para que a fé não seja morta, e portanto, para a salvação. De modo que é Cristo, sim, que salva, mas o homem coopera pelas boas obras.

                       

Fonte: “As diferenças entre igreja católica e igrejas evangélicas”

Editora Com Deus - SP

Autor: Jaime Francisco de Moura

Crie um site gratuito com o Yola.