Apologética Católica

Respostas aos protestantes sobre o uso de velas

Por Jaime Francisco de Moura

 

A vela é símbolo da presença Divina!

“És tu, Javé, minha lâmpada” (2 Samuel 22,29) com este brado o salmista proclama que só Deus pode dar luz e vida. Para expressar sua fidelidade a Deus e a continuidade de sua prece, Israel faz arder perpetuamente uma lâmpada no Santuário (Êxodo 27,20) (1 Samuel 3,3)”.

E perguntou-me: “que vês? Vejo um candelabro todo de ouro, respondi; que tem um reservatório no alto, sete lâmpadas em redor e ainda sete bicos para as lâmpadas colocadas em cima do candelabro, junto deste, duas oliveiras colocadas de um e de outro lado do reservatório”. (Zacarias 4,2)

Perguntei-me de novo ao porta-voz; “meu Senhor, que coisas são estas?” Ele respondeu:Não sabes o que isto significa? Respondi: Não meu Senhor. Então ele explicou: “este é o oráculo do Senhor”. (Zacarias 4,4-6)

“Farás sete lâmpadas, que serão colocadas em cima, de maneira a alumiar a frente do candelabro” (Êxodo 25,37)

“Quando colocares as lâmpadas dispô-las-ás sobre o candelabro de modo que as sete lâmpadas projetem sua luz para a frente do mesmo candelabro. Aarão assim fez, e colocou as lâmpadas na parte dianteira do candelabro” (Números 8,2-4)

“O candelabro de ouro puro, suas lâmpadas, as lâmpadas que se deviam dispor nele, todos os seus acessórios e o óleo para o candelabro” (Êxodo 39,37)

“Óleo para o candelabro, aromas para o óleo de unção e para o incenso odorífero” (Êxodo 35,8)

“ O Senhor disse a Moisés: ordena aos Israelitas que te tragam óleo puro de olivas esmagadas para manter, continuamente, acessas as lâmpadas do candelabro. Aarão prepara-las-ás fora do véu do testemunho, na tenda de reunião, a fim de que elas queimem continuamente, da tarde à manhã, diante do Senhor. Disporá as lâmpadas no candelabro de ouro puro, para queimarem continuamente diante do Senhor” (Levítico 24,1-4)

“Havia muitas lâmpadas no quarto, onde nos achávamos reunidos” (Atos 20,8)

“Tomarão um pano de púrpura violeta para cobrir o candelabro, suas lâmpadas, suas espevitadeiras, seus cinzeiros e os recipientes de óleo necessários ao seu serviço” (Números 4,9 )

“Eleazar, filho do sacerdote Aarão, cuidará do óleo do candelabro, o incenso aromático, a oblação perpétua e o óleo para a unção, bem como a vigilância de todo o tabernáculo com tudo o que contém, do Santuário com todos os seus utensílios” (Números 4,16)

Não venham dizer que a Bíblia se entregava à superstição por ordem de Deus, se o que a Igreja Católica usa é superstição, ela o aprendeu de Deus, captou da Bíblia.

E a saliva com barro formando lodo que Jesus passou nos olhos do cego, foi superstição? (João 9,6), e o cuspe que fez o mudo falar e ouvir (Marcos 7,33-37), foi outra “mandinga” de Jesus? Nos atos dos apóstolos, lê-se que até os lenços e aventais do corpo de Paulo eram levados aos enfermos; e as enfermidades fugiam, e os espíritos malignos saíam (Atos 19,12), será que tudo isso é crendice?

 

Fonte: “As diferenças entre igreja católica e igrejas evangélicas”

Editora Com Deus - SP

Autor: Jaime Francisco de Moura

Crie um site gratuito com o Yola.